quarta-feira, 12 de abril de 2017

Na madrugada da tua lua

Na madrugada.
De sentimentos
pardos

surges tu, sem medos
nem fardos.
De coragem envolvente
em pouca armadura
de silêncio.
Surges tu,
sem segredos
nem medos.
De alegria vens brilhando.
Como se brilhar fosse 
um Direito
que alegremente
entoas, ressoas, nas pessoas.
Cheia da tua,
de ti,
de coragem, alquimia,
sabedoria de experiência,
adquirida em sobrevivência.
De vida estás inteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário